sábado, março 05, 2005

Os Quinteto Tati em Brigantia

(tentando-me abstrair do La Boheme que passa na televisão-viva o canal 2!)
Mesmo com uma hora de atraso que me deu pontuais vontades de indagar quanto ao paradeiro do livro de reclamações, entramos na sala de espetáculos e ainda esperámos porque os meninos estavam mesmo com pouca vontade de se arrastarem para o palco; o quinteto entrou (eram seis).
Com um início um pouco a medo J. P. Simões agradeceu a presença de todos nós os 48 que tinhamos ido vê-los, a piada foi recebida com agrado embora se notasse um quê de amargura nas palavras. Mas os 48 valeram por uma multidão pois cedo se deixaram envolver pela sonoridade invulgar que caracteriza o quinteto e ofereceram feed back, muito positivo, às intervenções de J.P. que com o passar do tempo se soltou e conquistou quem não precisava de ser conquistado porque já estava rendido à primeira.
Eu, pelo menos, estou irremediavelmente perdida de amores, quero um assim só para mim! Hà qualquer coisa num homem que diz coisas como "os neutrinos podem inverter a polaridade anulando-se e o universo obnubila-se"; à qual eu não sou capaz de resistir...
Ao longo do concerto foi-se criando um ambiente nocturno, em que vultos se passeavam como num carrocel do insólito, a cada música surgiam quadros, onde personagens que de tão invulgares poderiam ser um qualquer de nós, se moviam em cenas.... (estou com bloqueio criativo).
....
Os quinteto tati cairam como ouro sobre azul na minha semana, foram a lufada de ar fresco que eu estava a precisar com a sua Valsa Quase Antidepressiva. A música insinuante entranha-se sem se estranhar e degusta-se com delicia. A voz de barítono de João passou sobre mim como veludo e fez-me cócegas na barriga, literalmente...

1 comentário:

Giga (Não Gija) disse...

Hummm, como é que se começa um comentário num blog de modo original e inspirado, sem cair na brejeirice de insultar a blogona e demais participantes (?) de chofre ("andor FDP´s" seria simpático, agradável e cultural, já para não dizer intrinsecamente típico de moi même, mas mais batido que o vaginásio da britney spears)nem entrar de rompante com as minhas já célebres, destrutivas e simultâneamente inócuas e inconsecuentes críticas? Que tal:

"As armas e os barões assinalados..."

Ei, ´pera aí, acho que um caramelo qualquer já começou qualquer merda assim. Se calhar já vi noutro blog mais erudito.
Porra, devia haver uns workshops para dar umas dicas sobre esta merda.
Bom, se calhar o melhor mesmo é fazer aquilo que sei fazer melhor (a seguir a filhos lindos): meter nojo.
Aliás, e pensando melhor, se esse é o caso, MISSÃO CUMPRIDA.

Momento Zen: "mais vale ser um bêbado conhecido, que um alcoólico anónimo" (by Bêbado Conhecido)

P.S.- Quinteto Tati? Não conheço, mas se for uma mistura das Taiti com as alemonas Tatoo, se tirarem a cantoria, eu alinho.

Tenho dito (não tendo dito coisíssima nenhuma), foda-se!
(perdão que sou de Braga, copule-se)

Beijo, Gaija